A ideia do blog

O porquê do nome

A cidade é caracterizada como um espaço urbanizado e com uma estrutura político-administrativa. Mas poderíamos definir a cidade de uma forma mais simples. Cidade: um lugar por onde se passa. Sim, a cidade contempla o ato do passo cotidiano, a passagem impressa no tempo. O passo no compasso de cada cidadão que por ela passa: o passo apressado , o passo cauteloso, o passo aflito, o passo estratégico, o passo descompromissado, ou mesmo a fatalidade do passo. As passagens dos homens imprimem marcas, constroem, edificam. São transitórias ou não, assim como os objetos, os lugares, os edifícios, as paisagens e as pessoas que nela passam e/ou habitam. A cidade é uma constante travessia: Cidadesepassagens.

Para começar

Criei este blog para reunir pensamentos, memórias, crônicas e textos, para poder divulgá-los com mais autonomia. A ideia foi criar um espaço permanente de reflexão sobre cidades, podendo ser ampliado do âmbito local para o mundial, mas que não estivesse vinculado necessariamente a contextos político-partidários. A intenção do projeto do blog estava registrado em um papelzinho de um curso de RH realizado há algum tempo, e que fora encontrado ao acaso. Realizar o projeto era um desejo de mais curto prazo, seguido pela ideia de escrever um livro, mais a longo prazo. A hora é agora.

Considero que muitos dos meus textos ocorrem como insights ou  cartases que se impõem a jorrar palavras intensamente , tal como a vida o é. O  blog refere-se, preferencialmente, ao Espírito Santo e à Região Metropolitana da Grande  Vitória, sendo o recorte mais frequente a cidade de Vitória, onde nasci e vivo atualmente. Alguns textos do blog foram publicados em jornais, revistas locais ou mesmo em sites. Outros são derivados de partes dos estudos de teses ou trabalhos técnicos. Há também as crônicas casuais e do cotidiano que variam conforme a temática. Mas independente da profissão ou tema de interesse do leitor, o blog é direcionado a todas as pessoas que gostam de observar e sentir a cidade em que vive e que faz parte de seu cotidiano. E o blog está aberto às contribuições dos cidadãos e de textos de colegas para fins de publicação, assim como também desenhos, fotos e projetos a serem publicados na categoria “Ilustrada”. Penso que o blog seja um instrumento de observação, monitoramento e de possíveis soluções para as nossas cidades.

Espero que seja prazeroso para vocês, leitores, tanto quanto está sendo para mim. Com  uma força meio intimista e o apoio da filha Julia, sigo na construção do blog. Registro o agradecimento também aos colegas arquitetos e outros profissionais que me acompanham, apreciam o meu trabalho e os meus textos, e que, juntos possamos construir e compartilhar de boas experiências nesse espaço, antes de tudo, aberto às ideias.

“Mas tempo bom de verdade, só começou com a conquista de algum isolamento, com a segurança de poder fechar-me num quarto e trancar a porta. Deitar no chão e imaginar estórias, poemas, romances, botando todo mundo conhecido como personagem, misturando as melhores coisas vistas e ouvidas…” – Guimarães Rosa

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar